Início

 

Campanha Espaço para Estudar

Recolha de assinaturas até 12 de Abril

A 2 de Maio de 2018, a carta aberta dirigida à Direcção da NOVA FCSH e à Reitoria da NOVA contou com mais de 1000 assinaturas por mais condições materiais, abrangendo desde a wi-fi da faculdade à falta de recursos na biblioteca. Esta carta possibilitou a conquista de um novo sistema informático que irá entrar em vigor, ainda que parcialmente, já no próximo ano lectivo de 2019-2020. Contudo, há mais a fazer, e trabalho da AEFCSH na defesa dos interesses de todas e todos os estudantes continua, circunscrevendo no âmbito desta campanha os espaços para estudo da faculdade.

É impossível negar que as salas de estudo disponíveis actualmente são insuficientes, tanto a nível de espaço como de horários, e que não providenciam a todas e a todos os estudantes os requisitos necessários para usufruírem do que é seu e de que necessitam para o seu sucesso académico. O Espaço Alunos, sendo o local principal para o efeito, não só não tem lugares e tomadas suficientes como não é exclusivo para estudo, encerrando entre as 8h e as 15h e utilizado para as refeições de almoço da cantina. No entanto, o espaço foi parcialmente reduzido para a colocação de um módulo de madeira que, inicialmente, foi verificado a ser utilizado pelo Santander Totta durante o período de recepção e inscrições dos novos estudantes, e que, presentemente, se encontra fixo e praticamente inutilizado, apenas para efeitos de armazenamento de materiais de funcionamento da cantina, para reuniões, eventos e outras justificações que removem os estudantes deste quadro. Independentemente do seu horário “24 horas” incluindo aos fins-de-semana, as restantes salas de estudo (piso 3, blocos B1 e B2) não abrangem as necessidades de todos os estudantes, sendo particularmente os de pós-laboral e 2º ciclo prejudicados devido ao encerramento de salas às 22h.

Enquanto está previsto que o Edifício de Investigação e Doutoramentos (I&D) será o primeiro bloco a transitar para o campus de Campolide até Setembro de 2019, a grande maioria da comunidade estudantil da NOVA FCSH mantém-se na Avenida de Berna. É evidente que não é apenas para estudar que falta espaço na faculdade, porém, são os estudantes que mais usufruem, precisam e que constituem esta comunidade, e é nesse sentido que a AEFCSH aponta as seguintes exigências:

– Criar mais salas de estudo na faculdade, tomando como exemplo as salas T14 e 15 com capacidade para 60 estudantes;
– Alargamento do horário das restantes salas designadas para estudo na Torre B até, no mínimo, às 00h;
– Alargamento do horário das salas de informática até, no mínimo, às 00h;
– Colocação de mais tomadas no Espaço Alunos;
– Tornar a divisão de madeira no Espaço Alunos num local de estudos ao dispor dos estudantes.

A garantia de condições para estudar e respectivos direitos tem de ser uma prioridade. A AEFCSH defende e continuará a defender sempre um Ensino Superior público, gratuito, de qualidade e inclusivo!

Assina até dia 12 de Abril online ou no balcão da AEFCSH.


Edição de Janeiro-Fevereiro do jornal NOVA em Folha

Em homenagem ao estimado colega e amigo Rui Carrilho.